RP pró Responsabilidade Social



Por Talita Sales





Há algumas décadas atrás as empresas consideravam que o seu único papel na sociedade era obter lucro, pagar impostos e gerar empregos. Mas a partir da década de 90, houve uma maior pressão por parte da sociedade para que as empresas adotem práticas responsáveis social e ambientalmente, assim as organizações tiveram de se adaptar aos novos valores.

Segundo Patrícia Bispo, em uma entrevista concedida para site Rh.com.br, para a realização do artigo – Quem é socialmente responsável, afirma que há muitas empresas que tentam somente adquirir uma imagem corporativa positiva, sem se preocupar em fazer um trabalho sério para melhoria de seus processos de produção e relacionamentos com os públicos. Afinal, fazer doações para entidades carentes é bem mais fácil do que rever a postura da organização como um todo, porém isso não é responsabilidade social e sim filantropia.

Para realmente ser considerada uma organização socialmente responsável:

  1. as empresas devem dar satisfações e manter aberto o canal de diálogo não somente para os seus acionistas, mas também para seus funcionários, governo, comunidade em que atua
  2. aplicar conceitos de ética social e ambiental em toda cadeia produtiva, incluindo parceiros de negócios como fornecedores e distribuidores
  3. ter um compromisso com a sustentabilidade
  4. ser transparente em relação a sua atuação na sociedade, ou seja, além dos números informar também sobre suas atividades sociais e ambientais

Os profissionais de Relações Públicas, sendo responsáveis por melhorar a imagem organizacional e o relacionamento delas com os seus diversos públicos, são elementos chave no processo de transformação de uma empresa que se coloca na esfera puramente econômica em uma empresa que está inserida na sociedade de forma mais construtiva, é o que podemos observador no livro - “Tudo pelo Social: A Responsabilidade Social como uma das atribuições de Relações Públicas" – da autora Carolina Frazon Terra.

O artigo de Sandro Takeshi “Relações Públicas e Responsabilidade Social: o Caminho a ser Trilhado pelas Organizações Modernas” deixa claro que os Relações Públicas adquirem em sua formação competências como capacidade de analisar o cenário, identificar os diversos públicos da organização, saber quais são os estratégicos e melhorar o relacionamento das organizações com eles. Além de terem familiaridade com conceitos “intangíveis” como cultura, relacionamento e até mesmo responsabilidade social.

É importante que esses profissionais tenham acesso às pessoas que têm poder decisório dentro da organização para poder conscientizá-las da importância de incluir na sua cultura o conceito de responsabilidade social, que pode não trazer lucro imediato, mas trazem ganhos de imagem para a marca e benefícios para a sociedade no geral.

3 comentários:

Planner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ArtCom.Blog disse...

Post muito bem elaborado.

concordo que o RP é o profissional ideal para desenvolver um projeto de Responsabilidade Social e que para que esse projeto seja satisfatório o contato com a alta adminstração é impresindível.

Abraços,
Aline Derenzi
ArtCom.Blog - www.artcomblog.blogspot.com

danipedace disse...

Virão!? Mais uma frente em que podemos atuar...rs...

Abraço
Daniele Pedace

top